Posts Tagged ‘Dinheiro’

Imagem tal como ilusão

novembro 25, 2012

É só uma imagem como a do nazismo, da paz ou da anarquia… Te fazem pensar que você é a marca que usa como seu tênis da Nike e sua blusa da Puma…É, te fazer pensar, você não está pensando e eles estão fazendo isso por você ou seja quando eles ligam essa informações, querem que você “ache” que você se torne aquilo mas na verdade, quem quer são as aqueles que estão atrás das marcas e querem vende-las e não fazem você se tornar alguém, você é apenas um consumidor e seu dinheiro, muito obrigado e volte sempre!

Anúncios

Indústria Cultura

junho 27, 2012

Theodor Ludwig Wiesengrund-Adorno

No sistema capitalista o dinheiro está no meio e tudo gira em volta. Se você tem dinheiro, pode fazer se não… Dessa forma, não é “gratuito” então presta o serviço e recebe continuando o ciclo. Uma mídia dependente dos investimentos (propaganda). Então alguém com capital pode manipular o que temos que ver?

O filósofo Adorno tenta explicar o que acontece a sua volta e identifica o que chama de “industria cultural” que:” impede a formação de indivíduos autônomos, independentes, capazes de julgar e de decidir conscientemente.” Fica claro a grande intenção da Indústria Cultural: obscurecer a percepção de todas as pessoas, principalmente, daqueles que são formadores de opinião. Ela é a própria ideologia. Os valores passam a ser regidos por ela. Até mesmo a felicidade do individuo é influenciada e condicionada por essa cultura.

Então os antigos valores humanos haviam sido deixados de lado em troca do interesse econômico. O homem havia perdido a sua autonomia. Em conseqüência disso, a humanidade estava cada vez mais se tornando desumanizada. Em outras palavras, poderíamos dizer que o filósofo contemplava uma geração de homens doentes, talvez gravemente. O que passou a reger a sociedade foi a lei do mercado. Nessa corrida pelo “ter”, nasce o individualismo, que, segundo o nosso filósofo, é o fruto de toda essa Indústria Cultural.

Segundo Adorno, na Indústria Cultural, tudo se torna negócio. Enquanto negócios, seus fins comerciais são realizados por meio de sistemática e programada exploração de bens considerados culturais. Um exemplo disso, dirá ele, é o cinema. O que antes era um mecanismo de lazer, ou seja, uma arte, agora se tornou um meio eficaz de manipulação.

A minha conclusão é que tudo sobe tem que descer, nada durará toda a eternidade, o dinheiro por mais útil que seja não traz felicidade, é uma questão de tempo.

Mesada, realmente necessária?

janeiro 20, 2010

É, esse assunto tem muito o que falar mas, para começar eu responderei a pergunta, não, eu nunca tive o interesse de privar minha liberdade financeira mas, veja bem em toda a minha vida jamais tive que desembolsar bastante para comprar algo, porque sempre ouvi: você realmente precisa disso ou espere a temporada, para o preço “despencar”.

Para fazer este post fiquei pesquisando opiniões e procedimentos que envolvam a mesada, já fiquei assustado em ler que “deve-se” introduzi-la quando a criança está começando a aprender a somar e subtrair, por volta dos 6… Cara, nunca imaginei eu nessa idade pensando em dinheiro, acho que essa “inicialização” é para futuros banqueiros xP – nessa idade é para brincar e não ficar contando dinheiro.

Assim quando a criança faz qualquer coisa de errado, ha! Já cortam a mesada. Também nessa idade acho que gastariam em coisas fúteis(doces, bem saudáveis rsrs ai tem que ir para o dentista…), dá dó do porquinho…Além disso estava imaginando, e se ela for “treinada” com algumas falhas e ela começar a ter uma ambição sedenta por dinheiro, por exemplo nesse dialogo: Mãe: – Filho vamos à praia? / Filho: – E quanto isso vai me lucrar? Mas não se preocupe, é hipotético, precisa de uma disposição conveniente dos eventos; conveniência. Assim ele sempre terá conseqüências negativas e positivas.

Será essa a única forma de ensinar a cuidar do dinheiro? Não, tem várias por exemplo: o patriarca dos Rotschild (Mayer Amschel Rostchild) como queria que seus filhos homens continuassem no ramo dele, preparava-os por exemplo, quando um filho pedisse dinheiro, ele “emprestava” o dinheiro para o filho mas, que “devolvesse” deste modo para criar habilidades de negociação, etc… E você viu no que deu.

Outra forma seria de dar trabalhos domésticos que fossem pagos, trabalhos de estágio como um aprendiz mas, nunca coloque-o no topo dos negócios senão vai ser como a Matarazzo.

Também tem dois ‘’pesos’’ que devem ser comparados: Educação e Trabalho. Quando pesados você julgará o melhor, terminar os estudos ou começar a trabalhar, mas isso é cada um por si.