Simulação da Guerra Nuclear – Ano 2190

No antigo jogo SimEarth (sim existe) é possível manipular os planetas (Marte, Venus e Terra) com diferentes níveis etc… Até que fiz uma experiência que achei que não teria mas aconteceu: um guerra atômica!

Sim os humanos são realmente “estúpidos” (no jogo é claro), era apenas faltar os recursos de fonte de energia (especialmente as matérias-primas como o urânio ou plutônio) e ironicamente eclodia uma guerra, cidade contra cidade (o jogo distribui a população em cidade então são cidades-estados ou seja independentes). Com esse experimento pude obter alguns dados (em inglês) muito interessantes:

Vamos começar com a Terra antes da guerra, a tabela do relatório:

O mapa global:

Os biomas (a flora):

A fauna:

A atmosfera:

Agora o resultado pós-guerra:

Localizações das explosões:

Sim, são 136 no total de bombas atômicas

Tabela do relatório:

O mapa global:

Os biomas (a flora):

A fauna:

A atmosfera:

Análise

Data: 1990

Confortavelmente, 387 milhões de habitantes, de diferentes níveis tecnológicos do básico (idade do bronze) ao atual na época (e ironicamente) idade atômica, com uma qualidade de vida “miserável”. Os biomas estavam estáveis, uma Terra verde com vários níveis de vida existente (e obviamente sem dinossauros e mega plantas carnívoras) como uma atmosfera adequada para a vida.

Data: 2190 (em 200 anos, 136 bombas nucleares foram lançadas)

Os quase 400 milhões se tornaram apenas 28 milhões (aproximadamente 7% sobreviveu) e a qualidade de vida “melhorou” para “ruim”. Pela guerra ser apenas feita por civilizações com capacidade tecnológicas desejáveis como a atômica, informática ou nano, as civilizações inferiores foram restantes pois se evoluíssem, entrariam em guerra de auto-destruição.

A Terra não era mais tão verde assim, estava dominada por desertos, isso é explicável pois com a destruição de parte dos biomas, faltava a formação de árvores e seu ciclo de absorção de CO² e formação de O² e para amenizar a temperatura. As explosões extinguiam a vida (de todos os seres terrestres [exceto humanos] e grande parte marinha, onde basicamente sobreviveram os seres unicelulares) e com os gases super-aquecidos lançavam para fora da atmosfera, aumentando também a temperatura e diminuía a densidade do ar, tornando-a frágil.

O primeiro fenômeno que acredito que ocorreria seria o “Verão Nuclear” pois teríamos uma atmosfera muito aquecida em detrimentos de múltiplas explosões, e a ampliação de desertos no planeta, ambas aceleradas pelo efeito estufa e não do “enxofre”* como no segundo fenômeno. A terra infértil pelo calor e o fim da vida.

* O elemento é capaz de reter calor e produzir condições “frias” como em erupções vulcânicas assim como chuvas ácidas.

O segundo e mais “plausível” (mas que discordo como inicial), o “Inverno Nuclear” (teorizado na década de 1980 por Vladimir Valentinovich Alexandrov) que baseado em desastres de grande escala como em erupções vulcânicas, colisões de asteroides e incêndios florestais. A terra infértil pelo frio, o fim.

Anúncios

Tags: , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: